Aquecimento antes do treino é necessário?

Por Yuri Motoyama

Muitos treinadores  e atletas preconizam a realização de um aquecimento antes da atividade aeróbia. Durante minha prática eu já vi professores defenderem com unhas e dentes o aquecimento enquanto outros dizem a famosa frase: “O corpo sempre vai ter 36,5°C; não adianta aquecer!”.

Um estudo realizado pelo grupo do professor David Bishop comparou o efeito de varias intensidades de aquecimento sobre a performance e a temperatura:  muscular, retal e corporal.

Quais os benefícios do aquecimento?

A literatura aponta vários benefícios relacionados ao aquecimento como:

  • melhorar a taxa da condução neuronal.
  • diminuir a resistência muscular e das articulações.
  • acelerar as reações metabólicas.
  • melhorar o fluxo sanguíneo na musculatura.
  • potenciação pós-ativação.
  • efeitos psicológicos.

Um dos problemas encontrados na literatura é a estabilização das intensidades do aquecimento ser realizada através do VO2max e sabemos que em alguns caso essa observação fisiológica não coincide com os limiares de transição metabólica (famosos L1 e L2, limiar aeróbio e limiar anaeróbio, limiar de lactato e ponto de compensação respiratória, etc).

Sugestões para um aquecimento realizado a partir do limiar de lactato

Foram realizados 4 tipos de aquecimento com base no comportamento do lactato. O trabalho identificou uma inflexão na curva do lactato (que chamaremos aqui de L1) e o tradicional limiar de lactato (que chamaremos aqui de L2). Os aquecimentos propostos foram:

  1. Metade da diferença entre o L1 e o L2 abaixo do L1.
  2. Exatamente no L1.
  3. O ponto médio entre o L1 e o L2.
  4. Exatamente no L2.
  5. Metade da diferença entre o L1 e o L2 acima do L1.

Após os aquecimento os participantes descansavam 2 minutos e realizavam 6 tiros de 4 segundos na velocidade máxima que eles conseguiam.

Quer ouvir um podcast sobre lactato e suas polêmicas definições? Então clique aqui!

E aí!? O aquecimento mudou alguma coisa?

Não houve nenhum resultado na performance dos tiros, porém, foi encontrado um tamanho de efeito moderado considerando a quantidade de trabalho total realizada nos tiros (calculada em J kg).

Na temperatura corporal apenas o aquecimento 1 não teve aumento na temperatura corporal, o restante todos aumentaram a temperatura de suas respectivas avaliações (figura abaixo).

tabela aquecimento

Como estamos olhando para um artigo que avaliou o efeito do aquecimento para séries de exercícios na forma de tiros (sprints) máximos, podemos considerar pelo tamanho do efeito que um aquecimento realizado no ponto médio entre os limiares poderia ser uma boa indicação. O trabalho foi realizado com cicloergômetros porém acredito que poderíamos extrapolar isso para tiros de corrida.

Quer ler uma matéria sobre os tipos de pisada, clique aqui.

Aqui já temos algumas evidências a favor do aquecimento para um tipo de exercício característico, entretanto ainda temos a desvantagem desse método de estabilização de intensidade (pela lactatemia) não ser tão aplicável na prática. Acredito que o que poderíamos utilizar de mais barato e acessível seria a aproximação do L2 pelo comportamento da glicemia.

Porém isso é conversa para outro post…

Não deixem de comentar e escrever suas opiniões seção dos comentários abaixo do texto!

Abraços pessoal!


Referência

YAICHAROEN, Pongson et al. The effect of warm-up on intermittent sprint performance and selected thermoregulatory parameters. Journal of Science and Medicine in Sport, v. 15, n. 5, p. 451-456, 2012.