Podcast #33 – Monitoramento da Carga de Treinamento

Olá Pessoas!

Nesse podcast os professores Yuri Motoyama, Gilmar Esteves, Paulo Eduardo, Fabio Rocha e o nosso convidado especial o consultor científico Rodrigo Gianoni! Nesse bate papo vamos conversar sobre como monitorar as cargas de treinamento para que possamos atingir resultados sem levar o corpo a uma sobrecarga que possa ter resultados negativos.

Ouça, compartilhe e sempre que quiser nos escreva com suas opiniões sobre os temas e o formato do podcast. Deixe sua mensagem no endereço contato@4×15.com.br

Para um melhor aproveitamento é recomendado o uso de fones de ouvido.

Links citados no podcast

Clique aqui para acessar a página do ciclo de conferências em educação física e esporte.

Clique aqui e veja o livro do professor Inigo Mujika sobre periodização do treino.


Referência

NAKAMURA, Fabio Yuzo; MOREIRA, Alexandre; AOKI, Marcelo Saldanha. Monitoramento da carga de treinamento: a percepção subjetiva do esforço da sessão é um método confiável?-doi: 10.4025/reveducfis. v21i1. 6713. Revista da Educação Física/UEM, v. 21, n. 1, p. 1-11, 2010.

  • Luiz Gustavo

    Classe A esse episodio do podcast! Parabéns pelo tema pessoal. Estou iniciando ainda os estudos sobre o treinamento de força, me assustei o tanto de conteúdo que tem referente ao assunto. rs mas aos poucos vou me entendendo com o assunto. Gostei muito do tema, pois era uma pulga atrás da orelha o fato de controlar todo esse treino para não desviar de seu objetivo. Na minha primeira graduação, mais voltada para área administrativa, existia uma teoria que para tudo que planejamos… executamos e depois controlamos para não desviar do objetivo, achava estranho não ter na Educação Física. No treinamento de força acredito que fica dificil de imaginar isso, pelo fato de eu não ter visto na minha vida, nenhum professor ou treinador realizando quaisquer método de monitoramento de carga de treinamento, e olha que treino em academia à 5 anos. Não sei se pelo fato de morar em cidade que está começando a crescer, possivelmente vai melhor a qualidade das academias nos próximos anos (esperando melhoria dos profissionais também), mas também não sei se nas grandes cidades da baixada santista ou se está em epidemia mesmo essa qualidade dos profissionais, que pelo que deu acompanhar no podcast não é nenhum bicho de sete cabeça cálculos para realizar algum método de monitoramento. Adoraria conhecer esse trabalho na prática para visualizar melhor como é feito e se gostaria de saber se esse método aprende na marra nos estudos ou tem cursos ou pós graduações sobre o tema.
    Abraço a todos e parabéns pelo trabalho

    • Yuri Motoyama

      Fala chefe!!! Então, na minha opinião para não desviar do objetivo basta ter ele bem definido e realizar avaliações frequentes para ver se os resultados estão sendo alcançados. Com relação ao que vemos nas academias ou não isso é falha do processo de formação de professores e falta de interesse dos mesmos em procurar informações após a faculdade. Realmente não é um bicho de 7 cabeças mesmo. Eu nunca vi uma pós graduação específica sobre isso, acho que dá para aprender com artigos e conversando com outros profissionais!
      Abração e valeu pelo comentário!