Podcast #C1 – Fisiologia Humana Integrada (Silverthorn) – Capítulo 1: Introdução

Olá pessoas!

Hoje vamos começar uma série de podcast (s) muito especial! Para você que é uma pessoa que tem um gosto especial por fisiologia humana agora você pode ter a companhia da fisiologia nas suas horas de solidão! Nesse primeiro episódio estamos com a equipe completa para fazer a introdução desse gostoso livro de fisiologia humana.

Com o oferecimento da Artmed Editora, nós vamos trabalhar com uma pauta baseada no livro da autora Silverthorn chamado Fisiologia Humana uma Abordagem Integrada. E além disso vamos aproveitar essa nova série para divulgar a nova edição desse livro!

A 7ª edição de Fisiologia humana preserva sua característica principal ao oferecer uma abordagem integrada aos sistemas docorpo humano. Nesta edição, as áreas de neurobiologia, sistema digestório e fisiologia reprodutiva foram amplamente atualizadas para refletir descobertas recentes. Objetivos de aprendizagem expandidos, novos resumos anatômicos e figuras essenciais, além de imagens tridimensionais e novas questões para revisão ao longo dos capítulos são alguns dos recursos didáticos importantes que fazem deste livro um sucesso entre estudantes e professores.

E se você está achando que é somente isso, para nossos ouvintes a Artmed Editora está dando 30% de desconto na aquisição do livro usando o cupom: QUATRODE15 !

Então corra lá pois isso tem um tempo limitado! Acesse o link e garanta já o seu!

Links comentados no podcast

Link para a aquisição do livro:

http://loja.grupoa.com.br/livros/fisiologia/fisiologia-humana/9788582714034

Referência

SILVERTHORN, Dee Unglaub. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. Artmed Editora, 2017.

  • Godoi Douglas

    Excelente iniciativa!!! Parabéns pelo post!!

    • Yuri Motoyama

      Muito agradecido Douglas!! Acordou cedo para olhar o feed hein? Espero que goste do conteúdo! Abração

  • Eduardo Alves Assenza

    Parabéns !! mais um podcast de sucesso!! por isso eu compartilho e recomendo!

    • Yuri Motoyama

      Aêeeeee valeu mestre!! Agora vc pode ouvir uma aula de fisiologia em qualquer lugar! Rs

  • Eduardo Alves Assenza

    Só para ilustrar o que foi comentado no inicio do podcast! a terapia larval é usada até hoje como
    A terapia larval (TL) consiste na aplicação intencional de larvas de moscas (Diptera) criadas em laboratório sobre lesões, feridas crônicas e/ou infectadas, tendo como finalidade a cicatrização tecidual.
    Nos Estados Unidos a TL foi amplamente empregada até a década de 1930, caindo em desuso logo após o aparecimento dos antibióticos. Alto custo e o desenvolvimento de resistência a esses medicamentos assinalada para certos grupos de bactérias patogênicas para o homem favoreceram o ressurgimento da TL, atualmente muito utilizada em cerca de 20 países, tais como Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos e Israel.
    NITSCHE, M.J.T. 2010. Avaliação da recuperação de lesões cutâneas por meio de terapia larval utilizando como modelos ratos Wistar. UNESP: Tese de Doutorado. 53p.

    • Yuri Motoyama

      Fantástico! Não sabia que ainda era utilizada hoje em dia…
      Gostaria de ter acompanhado essa pesquisa, já pensou um monte de larvas comendo feridas de ratos!? rs
      Valeu chefe!!!

  • Emanoel Brito

    fala pessoal como sempre posto atrasado.kkk mas o material ficou bom como sempre. e sempre é bom revisar o básico. se poderem fazer um posto nada muita aprofundado sobre biomecanica ou cinesiologia seria ótimo.

    • Yuri Motoyama

      Não tem problema postar atrasado! O que importa é que está sempre participando aqui conosco! Estamos querendo gravar um cast somente sobre biomecânica, só que para isso gostaríamos de convidar algum professor que pesquise bem nessa área. Já mandamos alguns convites mas não tivemos resposta. Mas esse vai sair! Rs

      • Emanoel Brito

        Entendi. Conheço dois professores nessa área. Poderia passar o contato deles.

        • Yuri Motoyama

          Opa! Manda com certeza!

      • Godoi Douglas

        Bah!!! Ai ficar bem completo…Sucesso !!!

  • Jonathan S. Chavarro.

    Fala galera!
    Olha muito bacana essa materia ai!!!
    Devo dizer que uma coisa muito importante é entender desde o inicio dos estudos em fisiología (e outros temas da vida também), a diferença entre dividir os conteúdos para entender o que é teorizado né, com a complexidade de levar tudo esse conteúdo para orientar e sustentar nossa conduta profissional. Nós crecemos na racionalidade occidental a qual nos ensina a dividir tudo para entender e para aplicar e, isso nos coloca em muitos problemas mesmo, por exemplo, na área da saúde, entender o ser humano de forma dicotomizada, (dividida), mas na verdade o ser humano é uma integridade muito complexa, e ai, o maravilloso dele.Outro exemplo pode ser aquela discussão, ao parecer inacavábel, de teoría vs pratica, mas nas novas racionalidades (teoria dos sistemas, holismo e claro, complexidade) podemos conhecer que pode ser que nem o Ying-Yang, é uma coisa só, que não dá para dicotomizar, uma contem a outra. Eu sei que é difícil pensar em isso, até porque de crianças já nos forman nessa racionalidade, na ideia que as coisas ou são boas ou são ruim, só existe esas posibilidades, mas pode, nem tudo, se resumir em dois polos, é mais incerto ainda: Contextos e sistemas abertos, que nem a ciência desde seu método pode conhecer!!!

    Por isso temos que ser cientes disso e saber que dividirmos não que seja errado, mas ai o lindo de estudiar fisiología, tudo esta interligado, conectado, e fixo às mudanças ao olharmos o todo.

    Espero ter contribuido com a discussão e ter conseguido colocar de forma clara minha ideia, (é filosofica e epistemica, pelo menos eu acho, rs rs) e agradeço por esa nova estrategia do quatrode15. Aquí mais um nessa caminhada!!!

    • Yuri Motoyama

      Fantástica colocação Jonathan! É justamente isso que torna nossa área tão complexa e tão fascinante ao mesmo tempo, a necessidade de pensar de forma integrada! Gostei do exemplo do Ying-Yang…
      Está escrevendo bem em português hein!?

      Abração amigo e muito agradecido pelo contato!

  • Lucas Gaspar

    Eu imagino o feedback negativo como o flanelinha que fica falando pra tu entrar com o carro dai quando ta quase encostando no outro carro ele fala pode para que ta certo

    • Yuri Motoyama

      Kkkkkk é um bom exemplo! Mas aí o feedback negativo não seria o flanelinha falar para você ir um pouquinho mais para frente pq já bateu? rs Abraço!