Qual será o futuro da saúde no Brasil?

Por Gilmar Esteves

Basta olharmos ao nosso redor para observarmos que estamos cada vez mais preguiçosos, principalmente com o avanço da idade. Considere toda esta evolução tecnológica que nos priva de nos movimentarmos e adicione isso a farta oferta de alimentos industrializados, os “fast food” que são ricos em calorias (e com muita gordura trans). O resultado disso pode estar colaborando cada vez mais com a redução da nossa saúde física. E para piorar, estamos cada vez mais sedentários.

Recentemente li uma matéria no jornal Folha de S.Paulo, no caderno de ciências, onde constava uma pesquisa feita pelo Ministério do Esporte, tendo como foco principal a pratica de atividade física e saúde. A pesquisa foi realizada em 2013 e contou com a participação de 8.902 pessoas, de todos os Estados do Brasil, mostrando que 32% dos brasileiros se exercitam regularmente e que 46% são sedentários. Índice que supera países como EUA, Rússia, China e Índia, mas pelo menos não perdemos da Argentina onde 68% são sedentários.

(Ganhar da Argentina é sempre bom! rs)

Outro dado interessante é de que a maioria das pessoas que abandonaram um programa de exercícios físicos ou a pratica de atividades físicas, alegaram como principal motivo a falta de tempo, compromissos com a família e o trabalho, respectivamente. O que não da para acreditar é dizer que é por falta de tempo, isso é uma grande desculpa para a grande maioria. Talvez para poucos isso possa ser realidade, mas não ter alguns minutos do seu dia, como 30 minutos, para fazer um exercício físico já é demais.

Se quiser ouvir um podcast sobre como é o serviço prestado a saúde em outros países, clique aqui!

Será que as pessoas pensam que para se ter resultados benéficos a saúde é necessário ficar horas dentro de uma academia?

Infelizmente ainda vejo alguns casos assim em academias. Uma das recomendações da Organização Mundial de Saúde é de 30 minutos de atividade física moderada 5 vezes por semana para se ter benefícios a saúde, e existem outras agências e uma série de pesquisas científicas que indicam uma melhora na saúde até com menos tempo de pratica. Se você conseguir alternar a intensidade e volume dos exercícios, como por exemplo 10 minutos de atividade vigorosa, você consegue obter grandes benefícios para o corpo com menos tempo que a recomendação tradiconal.

A pesquisa aponta ainda que quanto maior o nível de escolaridade maior é a pratica de exercícios físicos. Este seria mais um motivo para melhorarmos a educação de nosso País, que na realidade, além de não ir muito bem, parece que esta piorando.

Será difícil prever o que pode acontecer daqui em diante. A medicina evolui a cada dia para tratar nossos doentes, não que isso seja ruim, mas o que fazer para evoluirmos na questão de como reduzir o risco de ficarmos doentes?

Com o sedentarismo aumentando, só vejo mais pessoas não saudáveis. E esta meu amigo, é uma triste realidade…

Clique aqui e ouça um programa com dicas para treinar o corpo sem colocar em risco sua saúde!
Para ler a matéria do Jornal na integra, clique aqui.