Queima de gordura em 48 horas! Só que não!

Por Yuri Motoyama

Antes de começar o texto eu quero deixar bem claro que sei que não vivemos em um mundo ideal, onde todas as pessoas são éticas, seguem padrões morais e levam sua profissão com seriedade. Também sei que todo mundo precisa de dinheiro e alguns estão dispostos a vender falsas informações para tentar alcançar um suposto sucesso ou promover seu produto. Sei de tudo isso, mas mesmo assim não posso me manter omisso. Agora vamos falar do que importa: queima de gordura em 48 horas!

Eu tenho um apreço enorme pela profissão, o que me fez criar o site, o podcast e utilizar parte do meu tempo para divulgar informações. Devido a esse apreço, o sangue me sobe a cabeça quando eu vejo alguns absurdos. Quem já não deu risada quando viu uma propaganda de aparelho de abdominal que mostrava o antes e o depois de 15 minutos de exercício por dia. Tinha casos que o antes era uma morena de olhos castanhos e o depois era uma loira de olhos azuis de tão escrachados que eram os comerciais. E pior ainda era quando algum amigo seu era enganado pelo comercial e comprava alguns desses acessórios que prometiam milagres.

Já sabem onde eu quero chegar com esse post né?

Hoje com a popularização das mídias virtuais e a facilidade de se publicar um conteúdo na internet as coisas vão ficando cada vez mais insanas. Encontre um canal no Instagram ou Facebook chamado Saúde Irônica que você vai entender do que eu estou falando. Costumo dizer que a internet é a terra de ninguém, cada um escreve e acredita no que quiser.

O que me incomoda muito é quando profissionais se aproveitam do pouco (bem pouco pelo caso) de informações que tem para enganar outras pessoas e ganhar dinheiro delas. Isso me tira do centro (para não usar palavra pior). A uns meses me deparei com um vídeo sobre queima de gordura em 48 horas e já esperando o que ia ver resolvi dar play.

Mesmo esperando o pior, ainda consegui ser surpreendido!

Achei que seria um exemplo de alguma dessas técnicas novas, mas não! Era uma aula “completa” de 3 minutos e 20 segundos que prometia alguns absurdos como: 1) perda de gordura exclusivamente do abdominal; 2) 6 kg de gordura em 8 semanas; 3) 11 cm de circunferência em 8 semanas.

Engraçado que o autor ainda cita que é tudo baseado em pesquisas, leitura de mais de 1000 artigos e 9 anos de estudos para dar o toque final. Já pedi algum desses artigos e nunca tive resposta…

Isso não é o problema, eu tenho a mente super aberta e inclusive assisti o vídeo justamente para ver se não seria alguma quebra de paradigmas do treinamento. O que mais me incomoda são que as afirmações não tem referência nenhuma! Onde está um artigo que mostra que 3 min daqueles exercícios fazem você ter a queima de gordura em 48 horas. Pior ainda, a queima é exclusivamente da gordura abdominal! Qual método ele utilizou para afirmar que a queima foi apenas de gordura abdominal? Isso pode ser feito para sempre? Como ele avaliou o metabolismo de 48 horas para ver a queima de gordura? Meu medo é que essas perguntas não tenham respostas…

Na hora que eu vi o vídeo já mandei uma mensagem na postagem (foto abaixo) e como era de se esperar não tive nenhuma resposta. Nos vídeos e outras postagens sobre o tema os comentários são moderados de forma que só aparecem pessoas dizendo que conseguiram o tal milagre (nem sei se esses comentários são verdadeiros), todos os professores preocupados como eu que provavelmente colocaram suas opiniões foram excluídos.

queima de gordura em 48hs

Infelizmente ai está mais um caso de marketing bem feito, onde muitas pessoas vão jogar dinheiro fora por falta de informação (veja quantos compartilhamentos tem o vídeo no facebook). Infelizmente isso funciona assim. Acredito que o que podemos fazer para amenizar isso é divulgar informações com bases científicas, mudar a cara do treinamento do achismo para o criticismo e nos mantermos unidos.

O que me deixa motivado é que graças ao site, já conheci centenas de excelente profissionais que existem pelo Brasil e tenho certeza que se trabalhamos como unidade podemos mostrar uma outra postura, outros exemplos e quem sabe abrir os olhos dos consumidores.

Então se você é educador físico compartilhe! Gostaria muito que o autor desse método colocasse alguma referência aqui no comentário desse post sobre o serviço que ele está vendendo. Isso mudaria toda a nossa conversa e inclusive eu reformularia todo esse post se aquele treinamento for corretamente referenciado.

Se você é consumidor de saúde compartilhe também para seus amigos e colegas. Não quero que acreditem em mim ou em fulano. Mas quero pedir para que sejam muito mais críticos com o que leem na internet.

NÃO EXISTE MILAGRE!


queima de gordura 48h 1

  • Fabio Rocha de Lima

    Boa noite Yuri,

    Primeiro gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa do site, e que as informações inseridas aqui são de grande relevância, já aprendi muito com seus pensamentos ( e “roubei” alguns artigos dos podcasts também…rsrsrs….)

    Quando me deparei com esse método, vulgo Q48, foi por indicação do meu irmão que é um adepto da prática de exercício físico.

    Infelizmente ou felizmente também apertei o play. Analisei alguns segundos (diria ate milésimos) de segundo, para verificar diversos pontos que são de fato questionáveis.

    Também me perguntei desses 1000 artigos e os 9 anos de estudo (só não sei a veracidade dessa informação…rsrs…) sendo que ele não citou nenhum no vídeo.

    Pior ainda quando assisto alguns vídeos de “fórmulas revolucionárias” de exercícios físicos, é ver que mesmo eu sendo um aluno do 3° ano / 6° semestre, consigo ver muitos pontos que são de fato questionáveis, dai penso ” se um’ovo’ na profissão está identificando alguns pontos do trabalho de um ‘galo’, imagina os ‘pintos’, ‘galos’ e ‘galinhas’ da profissão”…rsrs…

    Infelizmente muitos aproveitam da “ignorância” de nossa sociedade, para disseminar esses produtos com redes de fácil acesso. Fico feliz quando encontro diversos profissionais que fazem bom uso dessa ferramenta, e conseguem atingir as expectativas de muitos estudantes (assim como eu), e creio que de muitos profissionais também. Parabéns pelo trabalho e continue sempre assim!

    • Yuri Motoyama

      Grande Fábio! Você não sabe o quanto que eu fico feliz de ver profissionais em processo de formação com um pensamento crítico como o seu. Isso me deixa muito feliz e me motiva a continuar acreditando que podemos mudar muita coisa através da nossa postura e do nosso conhecimento. Desse ovo ai não vai sair um galo e sim um dinossauro! rs
      Esse abuso vindo de um “conhecimento” a mais sempre vai existir, mas acredito que quanto mais compartilharmos o conhecimento científico as pessoas vão abrir os olhos e se tornarem mais críticas (assim como você). Existem muitos educadores físicos que compram esses programas também, infelizmente…
      Pode roubar o que quiser aqui do site, o objetivo é compartilhar o conhecimento mesmo!
      Muito agradecido pelo comentário!!!
      Abraço!

  • Marcos Relvas

    Olá Prof. Yuri.

    Como o senhor menciona no post que aguarda artigos científicos do assunto, resolvi contribuir.
    Acredito que as discussões e divergências fazem parte da ciência, mas uma crítica tão contundente como essa sua ao método Q48, incluindo uma imagem desabonadora logo no início, a meu ver deveria requerer um pouco mais de estudo e cuidado. Não sou praticante do Q48, ao contrário meu personal me passa treinos diários de quase duas horas. Também não sou da área, sou advogado, mas gosto de pesquisar antes de emitir opiniões, especialmente as de caráter público. Por curiosidade, em face do seu artigo indicado por meu personal, com muita facilidade encontrei uma pesquisa da revista Strength and Conditioning Research sobre o protocolo Tabata que é bem mais radical que o método Q48 e veja aí o que eles acharam ai em baixo.
    Pode ser até que o senhor encontre falhas nessa pesquisa, com seus conhecimentos, mas é preciso considerar que há polêmica sobre o assunto, é preciso conhecer mais sobre o que existe na área em que se atua para não falar coisas que até um leigo encontra e que no mínimo deve ser respeitada por mais que se discorde.

    Pesquisa recente revisa método TABATA!

    Protected by Copyscape Plagiarism Checker Lydia Guerreiro Marcadores: HIGH INTENSI:Ty
    INTERVAL TRAINING, HIIT, método, tabata training,treinamento

    Por Lydia Guerreiro

    Chris Beardsley é o co-fundador da Strength and Conditioning Research, uma publicação
    mensal que apresenta resumos dos mais recentes estudos e pesquisas na área do
    fitness, direcionada para treinadores esportivos, personal trainers e atletas.

    A indústria do fitness pode nos confundir um pouco, com tantas novidades e
    opiniões. Por isso, a pesquisa científica ,sempre que possível, é forma mais
    objetiva de verificar a confiabilidade dessa ou daquela novidade..

    Estudos como esses são fundamentais para embasar o trabalho de nós profissionais da
    área do fitness e da saúde. Pois é à partir da comprovação científica que
    podemos garantir resultados (claro que além de outros fatores também)

    Strength and Conditioning Research é uma publicação mensal que cobre as novidades e
    mostra estudos científicos interessantes relacionados ao fitness. Os
    estudos abordados ajudam a esclarecer algumas questões e a responder perguntas
    que às vezes podem nos confundir e aos alunos também.

    Aqui está um resumo de três estudos de revisão publicados na revista e que são
    bastante interessantes.

    Um deles, me interessou em particular, trata do protocolo TABATA. É sabida a
    comprovação científica desse protocolo, mas a revisão foi mais abrangente e
    confirma o sucesso da metodologia.

    Os três estudos foram:

    1 – Strength Training Improves Endurance Cycling Performance

    2 – Tabata Revisited: Is It the Solution to Quick All-Around Fitness?

    3 – Core Training Improves Some Strength Exercises But Not Sports Performance

    Tabata Revisited: Is It the Solution to Quick All-Around Fitness?

    Um grupo de pesquisadores liderado por Gill McRae da Universidade de Queen em
    Kingston, Canadá recentemente revisitou o protocolo Tabata , que é um conjuntos
    de 8 intervalos de 20 segundos, com 10 segundos de pausa, totalizando 4 minutos
    [ 2 ]

    Qual é o plano?

    Em 1996, um pesquisador japonês chamado Tabata utilizou um protocolo com
    baixo volume e alta intensidade, protocolo de treinamento que foi considerado
    eficiente para melhorar a aptidão aeróbica e anaeróbica. Essas descobertas
    abalaram a comunidade do fitness e levaram a muitas imitações. Porém seus
    experimentos não foram repetidos até agora.

    Para ler o artigo original na íntegra:

    http://greatist.com/fitness/research-review-tabata-core/

    Revista: Strength and Conditioning Research

    Protocolo Tabata

    Enquanto Tabata executou seu protocolo usando uma bicicleta estacionária, McRae et al.
    ramificou e usou uma variedade de exercícios, incluindo exercícios de
    relaxamento ou circuito de treinamento composto de burpees, escaladores de
    montanha, polichinelos, e agachamento e golpes usando um halter de 2,25
    kg.

    O que os pesquisadores fizeram?

    Os pesquisadores recrutaram 25 estudantes do sexo feminino ativas fisicamente e as
    dividiram em três grupos: um grupo de resistência, o grupo Tabata, e um grupo
    de controle. O grupo de endurance realizou 30 minutos de corrida em esteira em
    torno de 85% da freqüência cardíaca máxima, 4 dias por semana, durante 4
    semanas. O grupo Tabata realizou ginástica ou circuito de treinamento em 8
    intervalos de 20 segundos, separados por 10 segundos de descanso, quatro vezes
    por semana, totalizando 4 minutos cada sessão.

    Antes e após o período de 4 semanas, os pesquisadores mediram a resistência muscular
    (com exercícios de máquinas diferentes e ginástica) e capacidade aeróbia
    através de dois diferentes testes de esteira inclinada.

    O que aconteceu?

    Os pesquisadores descobriram que, após a intervenção, ambos os grupos de exercício
    melhoraram o seu tempo para a fadiga durante o teste de esforço aeróbico, ambos
    os grupos melhoraram seu VO2-max de 7-8 %, e ambos os grupos melhoraram nos
    testes de resistência muscular, porém o grupo Tabata melhorou em mais
    dentre elas.

    O que os investigadores concluem?

    Os pesquisadores concluíram que quatro dias por semana de treino de corpo inteiro,
    Tabata levou a melhorias semelhantes em VO2-max e maiores melhorias na
    resistência muscular do que o treinamento de resistência tradicional, apesar de
    cada sessão ter apenas 4 minutos para executar em vez de 30 minutos.

    O que isso significa para você?

    Tabata é um estilo de treinamento com duração de 4 minutos que pode levar a melhorias
    semelhantes em VO2-max e maiores melhorias na resistência muscular do que 30
    minutos de treinamento de resistência tradicional. Se você tem
    pouco tempo, o protocolo Tabata pode ser o que você precisa !

    Fora isso pesquisei no blog e facebook do Q48 e há centenas de relatos de pessoas que fizeram e obtiveram resultados, tem mais de 340 mil curtidas no facebook. Será que toda essa gente está comprada pelo dono do site?

    Vamos estudar mais professor!
    Marcos Relvas

    • Yuri Motoyama

      Olá Marcos!!!

      Fiquei MUITO feliz que alguém tenha se posicionado a favor
      do método. Não sei se você como advogado entende a indignação de um
      profissional que vê alguém, da sua mesma área de atuação, ganhando dinheiro em
      cima da desinformação de outras pessoas. A profissão Educação Física é muito
      nova e ainda tem muita gente trabalhando de forma empírica e muita gente usa a
      palavra “comprovado através de artigos” para vender falsas informações. Eu amo
      a profissão e isso me entristece muito.

      Na área da saúde, quando vamos procurar informações
      específicas para tomar algum posicionamento precisamos procurar nas bases de
      dados científicas. Vou usar como exemplo o texto que você citou no seu
      comentário. O texto é da página “por uma vida mais saudável”, traduzido de
      outro site chamado “greatist.com”. O blog nacional tem como título “pesquisa
      recente revisa o método Tabata”, não sei se reparou mas o texto é de 2012 e tem
      um artigo referenciado de 2011. A Ciência na área da saúde anda muito rápido e
      em 4 anos podemos ver muitas mudanças em conceitos. Eu encontrei os artigos que
      estavam referenciados nesses blogs e dei uma olhada. Lembrando que minha
      indignação é vender um serviço que promete 3 minutos de atividades variadas
      para aumentar a queima de gordura ABDOMINAL em 48 HORAS. Tenhamos o que é
      vendido em mente…

      Dos dois artigos citados na postagem o de 2012 mostrou que o
      treinamento proposto apresentou um aumento de 8% no consumo de oxigênio pico e
      de resistência muscular nos exercícios propostos, o outro artigo de 2011 nem
      chega a tocar nesse ponto, pois avalia o efeito de uma série de musculação para
      membros inferiores em um exercício máximo em bicicleta ergométrica. Procurei
      referências mais recentes sobre esse método e achei dois artigos do grupo do
      autor que propõe o método (Dr. Izumi Tabata) e eles não apresentam nenhum
      resultado mostrando redução de gordura abdominal e nem sobre o metabolismo
      acelerado durante as 48 horas. Isso porque não vou considerar os
      questionamentos sobre o delineamento das pesquisas e o tratamento estatístico
      dos dados que é super relevante também. Vou deixar o link para os artigos aqui
      no final.

      Marcos, um dos pontos que eu martelo com meus alunos do
      curso de educação física na universidade e sempre que posso eu reforço é que:
      um profissional de educação física realiza intervenções na saúde de outra
      pessoa. E isso é de extrema responsabilidade. Como eu disse anteriormente sobre
      o estigma que existe sobre a profissão, ainda não se enxerga a Educação Física
      com o cuidado necessário. Muitas pessoas (profissionais e consumidores desse
      serviço) ainda carregam os paradigmas postulados desde a década de 80 com
      relação ao treinamento. E a moda agora é dizer que tal método é “baseado na
      ciência” para aumentar a credibilidade. Dizer isso é muito fácil, agora sentar
      e estudar já da mais trabalho e não são todos que fazem.

      Enfim, ainda não tenho nenhuma evidência científica sobre o
      serviço vendido. 3 minutos de exercício podem melhorar alguns aspectos, o
      próprio grupo do Dr. Tabata estuda isso há um tempo. O que ele pesquisou muito,
      hoje conhecemos como o famoso HIIT, mas mesmo o HIIT ainda tem muitos pontos
      polêmicos que devem ser considerados. Agora vender a “queima de gordura
      abdominal” e “48 horas de metabolismo acelerado” é abusar da ingenuidade dos
      consumidores de serviço à saúde. Se encontrar algum profissional de educação
      física ou que trabalhe com a área da saúde que seja favorável e tenha
      evidências a favor do método, por favor, coloque ele nessa discussão. Vejo
      muitos profissionais indignados com a divulgação desse serviço, não sou só eu.

      Se o senhor achou minha postagem ofensiva, entenda que essa
      é a forma que eu encontrei para me posicionar contra um marketing ofensivo
      sobre um serviço que usa o nome da minha profissão para vender falsas
      informações e com o risco de prejudicar a saúde das pessoas.

      Então Marcos, com todo respeito eu discordo da utilização do
      método Tabata para justificar esse serviço; blogs não podem ser utilizados como
      referência (nem o meu blog eu permito que meus alunos utilizem); os relatos do
      blog não me convencem pois meus comentários e de outras pessoas que
      questionaram o método por falta de resultados foram apagados; e 340 mil curtidas
      não dizem nada. O site da polishop tem 400.000 likes e eu não acredito nos
      depoimentos nem nos aparelhos de abdominais milagrosos de lá.

      Entendo que você não é da área e pode se confundir com as
      informações oferecidas pela internet. Por isso que eu reforço o que você colocou
      no final do texto para todos! Vamos estudar mais para não sermos enganados por
      boas estratégias de marketing.

      Abraço!!!

      Artigos que comentei no texto:

      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25395872

      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24270457

      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22994393

      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=Cyclists+Improve+Pedalling+Efficacy+and+Performance+After+Heavy+Strength+Training

      • pietro oliveira

        Como entusiasta da profissão de Educador Físico, só tenho de lhe parabenizar pelo trabalho de informação prestado aqui.
        Nossa profissão merece respeito.

        • Yuri Motoyama

          Agradecido Pietro! É muito importante a ajuda de outros profissionais para ampliar esse projeto. Até na forma de um comentário como você fez aqui!!! Agradecido pelo comentário!

  • Olá Prof. Yuri. Eu agradeço sua resposta e sua paciência diante da minha ousadia em adentrar na sua área. Eu entendo sim o ponto de sua indignação e na verdade o que eu quis ressaltar apenas, posto que não tenho qualquer compromisso com o método em questão, foi apenas que não se pode descartar de forma tão contundente um método sendo que há pesquisas científicas que no mínimo apontam essa metodologia como uma possibilidade de ser inserida no contexto de treinamentos. Seguindo o raciocínio do meu excelente personal, penso que qualquer que seja o método aplicado sem qualquer variação pode não trazer o resultado esperado. Dessa forma, eu acredito que seja possível inserir métodos rápidos nos treinos semanais, em conjunto com os treinos tradicionais tanto para promover essa variação necessária, como para viabilizar a questão do tempo. O fato é que comprometido ou não com programas de saúde (como é o meu caso) não é fácil tirar quase 2 horas todos os dias só para essa atividade. Se há algo que pode não funcionar sozinho, mas que pode ser útil para aliviar essa carga de tempo, porque não utilizar? Qual a sua opinião sobre fazer 3 treinos tradicionais de uma hora a uma hora e meia cada, 2 protocolos Tabata e no sábado uma corrida mais prolongada? Desde já agradeço e peço desculpas pela acidez de meu comentário anterior. Um abraço.

    • Yuri Motoyama

      Na verdade eu que gostaria que todos profissionais da minha área tivessem a iniciativa e o senso crítico que você tem. Isso contribuiria muito com o crescimento da profissão! Fico feliz quando isso acontece! Agora o ponto que você tocou (citando seu personal) é a alma “do negócio”. O que você chama de variação eu chamo de Periodização. Qualquer treino, por mais inovadora que seja a técnica se torna inválido se não houver um planejamento (uma periodização) bem feita por trás. Uma boa periodização é ouro quando se fala em treinamento. Também acredito que podemos inserir métodos rápidos no treinamento, temos muitas pesquisas excelentes feitas com o HIIT. Meu único receio é como os professores estão calculando a “dose” de cada treinamento. Vejo que na prática ainda há muito empirismo ao se prescrever os treinos rápidos e de alta intensidade. Como disse em uma das minhas últimas postagens sobre HIIT, eu também uso com meus alunos de personal e tenho excelentes resultados.

      Com relação a sua pergunta fica difícil responder pois para estudar uma periodização é preciso ter em mente qual objetivo do aluno, em qual fase de treino ele se encontra, qual tipo de treino ele faz nessas horas, como está calculada a distribuição do treino na periodização…é difícil de responder essa pergunta chefe.

      Eu que agradeço seu comentário! Como eu sempre digo, essa troca de informações que nos faz evoluir profissional e intelectualmente. Abração!!

  • Valeu Professor, obrigado. Já tenho conversado sobre isso com meu personal e por certo vamos encontrar uma fórmula para conciliar comprometimento com o treino e com outras atividades da vida. Um abraço.

  • vivian jesus

    O mais legal é ver esse “professor” dizer que inventou o “Q48horas” sendo que está na cara que é um HIIT e mais conhecido como protocolo de Tabata.
    Como dizem a propaganda é a alma do negócio, pena que alguns usam da mentira para vender seu “peixe”.

    • Yuri Motoyama

      Verdade!! Mas o pior que ele vende resultados que não são comprovados pela literatura científica…

  • Marcelo Costa Pereira

    Como disse Umberto Eco, grande intelectual que acabamos de perder, ” Quando se permite que qualquer pessoa escreva e publique, se permite que muitos imbecis escrevam porcarias”. Infelizmente uma pena.

    • Yuri Motoyama

      Marcelo, estava conversando sobre isso ontem com um amigo meu. A “facilidade” que temos que expor nossas ideias hoje é muito complicada pois qualquer um com uma boa manipulação pode colocar merda na cabeça dos outros. Mas em contrapartida podemo ter acesso a pessoas brilhantes que nunca iríamos conhecer…Abração e agradecido pelo comentário!

  • Renata

    Oi, Yuri. Mas, se o Q48 é HIIT, ele deve (ou deveria funcionar), não é? Desculpe se minha pergunta for idiota, sou leiga no assunto.

    • Yuri Motoyama

      Oi Renata! Esse programa Q48 tem alguns problemas que estão relacionados ao choque entre duas coisas diferentes: 1) os idealizadores querem ganhar dinheiro (e isso não tem problema) e 2) isso é feito às custas de propagandas enganosas e que podem prejudicar à saúde dos praticantes (isso tem problema).

      Não vejo problema em uma atividade física mais intensa e realizada por períodos curtos. Desde que seja orientada por um bom profissional, seja periodizada, prescrita sob algumas avaliações e siga alguma base científica. No caso desse programa você segue vídeos na internet e isso é altamente arriscado por violar esses pressupostos que eu coloquei acima. Outros pontos que o programa promete coisas que são comprovadas através do método científico como perder X kg de gordura por hora, ou perder apenas a gordura localizada na barriga, etc.

      Enfim, já acompanhei as postagens dos videos é uma coisa muito estranha acontece. Os comentários de pessoas que sentiram mal estar, tontura, ou enjôo seguindo os exercícios dos vídeos são simplesmente apagados. Um comentário que eu fiz questionando o método e pedindo as evidências científicas nas quais ele está baseado também foi apagado! Essas coisas não me deixam muita possibilidade para pensar outra coisa…

      Tem que tomar muito cuidado com essas propostas milagrosas que a internet nos vende Renata.

      Abração e agradecido pela visita ao Blog!

      • Renata

        Você está certo. Confesso que me empolguei a princípio e até comecei a fazer alguns treinos propostos por ele. Não comprei o curso, mas busquei alguns vídeos dele no YouTube. Mas agora, devido a essas controvérsias, eu, que já sou preguiçosa por natureza, confesso que voltei a desanimar. Mesmo que seja por apenas 5 minutos em dias alternados, sinto preguiça em fazer alguma coisa que agora nem tenho mais certeza se vai ou não me fazer queimar gordura. Venho fazendo dieta low carb, então venho tentando mudar meu estilo de vida a partir daí. Acho que vou procurar outro meio de fazer HIIT.
        Abraços!

        • Yuri Motoyama

          Se vc tiver um tempinho Renata, ouça nossos programas (podcasts) tem muita informação aí que pode te ajudar nessa jornada para perder peso. Mas é altamente recomendado que você procure profissionais para te acompanhar (nutricionista, profissionais de ed. física e psicólogo). Abraço!

          • Renata

            Obrigada, Yuri, vou ouvir os podcasts, sim! 🙂
            Quanto a nutricionista, vou procurar alguém que conheça a dieta páleo e low carb, porque nesse meio tá cheio de gente que ainda prescreve dietas com alto teor de carbos e baixo teor de gorduras… Tá osso, viu?