Será que o “dia do lixo” compensa mesmo?

Por Jean Silvestre

É Praxe!! Quem nunca ouviu nos papos de academia que o dia do lixo é benéfico? Até mesmo nutricionistas acabam por cair na tentação de tal prescrição. Mas, qual a justificativa de alguns profissionais? Vamos lá… Em um post anterior já introduzi a “história” de hormônios que controlam nossa fome/saciedade ao longo do dia, como por exemplo: Grelina e Leptina. Também expliquei que ao longo do tempo, quando vamos perdendo peso (gordura corporal) cada vez fica mais difícil de mantermos a perda de peso. Nesse sentido, a regulação hormonal é um dos fatores mais importantes para um bom resultado.

Clique aqui e leia a postagem anterior sobre hormônios, fome e saciedade.

Qual o objetivo da dieta chamada “dia do lixo”?

Pois bem, a justificativa do dia do lixo entra exatamente nesta regulação hormonal, a hipótese – sem comprovação científica alguma até o momento – é a de que após um dia de ingestão calórica elevada (500-700 kcal além do seu gasto energético total), mesmo que com alimentos saudáveis o nosso corpo restabelece os baixos níveis de leptina, hormônios tireoidianos e também diminui os níveis elevados de grelina. Resultado? O indivíduo não sente aquela vontade maluca de comer doces e alimentos ricos em calorias vazias, conseguindo manter a perda de peso/gordura corporal que conquistou e também continua com o metabolismo acelerado.

Se você é obcecado por suplementação de proteínas, clique aqui e ouça esse podcast!

O que a ciência diz sobre o dia do lixo?

Ano passado, um grupo de pesquisadores italianos investigou os efeitos de uma dieta hipocalórica sobre os níveis hormonais em indivíduos obesos, os autores encontraram que em apenas 1 MÊS DE DIETA, o peso dos indivíduos teve redução e também a concentração de leptina!! (1). Jean, quer dizer que se eu fizer uma dieta hipocalórica em apenas 1 mês eu já começo a ter adaptações metabólicas para recuperar o peso que perdi? Sim, ou você imaginou que ia “enganar” seu corpo tão facilmente? E mais, em 2008, Yukawa e colaboradores recrutaram indivíduos adultos e idosos com IMC entre 22 e 30 kg/m2 e realizaram uma restrição calórica (25% do GET) durante somente 14 dias, resultado? Observaram uma redução significativa na concentração plasmática de leptina durante as 24 hrs de análise… e tem mais! Após essa redução, realizaram um período de 28 dias de ingestão alimentar sem restrições, e com isso os indivíduos praticamente reestabeleceram os níveis plasmáticos de leptina!! O que isso nos traz na prática? Para reestabelecer os níveis de leptina você precisa de no mínimo 28 dias!! (2) OU SEJA: UM ÚNICO DIA DE LIXO SÓ VAI FAZER VOCÊ QUEBRAR O PLANEJAMENTO ALIMENTAR!!!

Em 2011 um grupo de pesquisadores em Louisiana (EUA) demonstrou através de 4 grupos, que após 6 meses de uma dieta de restrição calórica (25% do GET), a concentração de leptina plasmática diminuiu na mesma proporção para o grupo que fez uma dieta super restritiva e depois voltou a se alimentar à vontade  e também para o grupo que restringiu sua dieta em 12,5% do GET e acrescentou 12,5% de gasto energético com exercício físico (3). O que isso nos diz? Seja por restrição na dieta ou por acréscimo de gasto com exercícios físicos, você terá uma adaptação metabólica para tentar recuperar seu peso/gordura corporal, a vantagem deste último grupo é que nos mostra que não precisamos restringir nossa alimentação tão arduamente, é muito mais benéfico conciliá-la com exercício físico planejado adequadamente, os benefícios serão enormes e você terá uma adesão muito melhor com o planejamento alimentar!!

Até a próxima pessoal!!


Referências

(1)GRECO, M.; CHIEFARI, E.; MONTALCINI, T.; ACCATTATO, F.; COSTANZO, F. S; PUJIA, A.; FOTI, D.; BRUNETTI, A.; GULLETTA, E. Early effects of a hypocaloric, mediterranean diet on laboratory parameters in obese individuals. Mediators of Inflammation, ID 750860 , 8 pág, 2014.

(2)YUKAWA, M.; PHELAN, E. A.; CALLAHAN, H. S.; SPIEKERMAN, C. F.; ABRASS, I. B.; WEIGLE, D. S. Leptin levels recover normally in healthy older adults after acute diet-induced weight loss.  J Nutr Health Aging, v. 12, n. 9, p. 652-56, 2008.

(3)LECOULTRE, V.; RAVUSSIN, E.; REDMAN, L. M. The fall in leptin concentration is a major determinante of the metabolic adaptation induced by caloric restriction independently of the changes in leptin circadian rhythms. The Journal of clinical endocrinology & metabolism, v. 96, n. 9, p. 1512-6, 2011.